terça-feira, 25 de março de 2014

terça-feira, 18 de março de 2014

AÍ DE NÓS QUE SOMOS SENSÍVEIS

(Amanda Cristina Souza)




Aí de nós que somos sensíveis
Atravessamos o mundo
Pousando em armadilhas

Nossos pés caminham 
Solitários na estrada da vida
Em silêncio
As lágrimas anunciam
A tristeza e dor

Por entender que viver
Também é dissabor





quinta-feira, 13 de março de 2014

"Dia de chuva, porém, jamais nebuloso. No que depender da natureza, as nuvens chorarão, no que depender de mim, a proteção que me rodeia será o lençol que enxugará as lágrimas derramadas do meu céu."  (Amanda Cristina Souza)


terça-feira, 4 de março de 2014

NOSSOS "AIS"

(Amanda Cristina Souza)



Deixamos que nossos amores rastejem 
Ao não encontrarmos os nossos "ais"
E as melodias ficam perdidas no vácuo do desprezo
Muito além das lágrimas, estão os sonhos
Camuflados em lembranças 
E viajando em um tempo perdido
No qual as paixões são intérpretes da dor
Conformados, são os apaixonados
No horizonte, vislumbram o amor
Derretidos na própria carne 
Semeiam o torpor
E na língua universal da paixão
Transborda vida e sedução